13.1.12

Entrevista com o Ruki sobre o RTU (Shoxx Vol. 223)

A phoenixshin@LJ traduziu a entrevista que o Ruki concedeu à revista SHOXX Vol. 223 (Edição de Setembro de 2011). Nessa entrevista, Ruki fala sobre o single de REMEMBER THE URGE, focando bastante no que ele quis expressar na letra da música desse single, que seria o seu eu atual lembrando do seu eu da época em que ele começou a banda.

A GMaiden traduziu a entrevista para o Português. Leiam abaixo:

Entrevista com o RUKI sobre REMEMBER THE URGE
SHOXX Vol 223 (Setembro de 2011)


Tradução Japonês-Inglês: phoenixshin@LJ (Parte 1 | Parte 2)
Tradução Inglês-Português: GMaiden

-----

Meu próprio sonho elegante que eu tinha quando começamos a banda, são atualmente as coisas que eu penso.

O desejo ressuscitado une mais da realidade dos sonhos prévios. Na nova música "REMEMBER THE URGE", olhando do seu ponto de vista atual, Ruki expressa palavras francas sobre enfrentar seu próprio passado. Algumas vezes as pessoas vivas perdem de vista o que é importante. A partir da experiência original, ele nos dá seus sinceros pensamentos sobre o desejo imutável que se transforma para a personificação da música.

- Que tipo de influência os fez lançar um single no meio do verão? Dessa vez na música "REMEMBER THE URGE", vocês foram capazes de produzir um som bem nítido e seco.

Ruki: Ah, isso mesmo. Embora eu não estivesse consciente sobre a mudança das estações, se eu tentasse colocar isso em palavras, seria como o sentimento de um verão muito longo.

- Quando vocês estavam criando essa música, Ruki-san teve alguma visão original para ela?

Ruki: Não, eu não tinha nada em particular em mente. Já que eu tinha uma quantidade considerável de liberdade para escrever, na época, logo antes de escrever "Vortex", eu tive essa sensação de que eu tinha liberdade de poder fazer qualquer coisa.

- Bem, então para essa música você estava em uma fase onde começou a colocar mais confiança no time instrumental, o que Ruki-san pediu para o grupo fazer?

Ruki: Primeiramente, já que estávamos no período onde pensávamos sobre o que fazer depois do lançamento do "Vortex", até agora nós estivemos gradualmente aumentando os riscos que corremos com experimentações. Nesse período nós tivemos uma conversa sobre extrair o som do bumbo ou da caixa [ambos partes da bateria], e fazer do som do baixo mais compreensível para que possa acompanhar o ritmo.

- Em relação ao nível mais baixo do som, há momentos em "Vortex" onde vocês meio que levam as coisas ao extremo, vocês tentaram fazer as partes mais baixas proporcionalmente? E em relação a isso, em "REMEMBER~" há uma impressão de um pouco do baixo estar em "ascensão". Nessas partes, há a sensação deles estarem "temperados" com um sentimento mais pesado.

Ruki: No final, devido à melodia ali, há uma mudança. Já que o que combina cada uma daquelas músicas é diferente, e como eu acho que ainda somos uma banda que está tentando achar um bom significado no nosso som para que ele se torne mais completo, no momento nós precisamos fazer o melhor com o nosso "crescimento" e tentar várias coisas diferentes. Eu acho que agora nós temos que continuar tentando fazer as coisas que nós conseguimos, até alcançarmos o nosso limite.

- Isso não é uma ótima consideração?

Ruki: Provavelmente em um futuro distante, isso mais uma vez vai se tornar um pretexto do tipo "Como nós tivemos essa idéia?", do qual nós claramente vamos emergir.

- Então em outras palavras, esse single é um trampolim para o futuro.

Ruki: Sim, sim. Então se há um impedimento, nós podemos extrair esse single, já que o que estamos fazendo agora parece puro, com o som que nós estamos fazendo honestamente. Na verdade, dentro de nós mesmos, nós não pensamos nisso como um "single, e sim como o estado atual da banda. (risos)

- Então isso quer dizer que o estado mental da letra de "REMEMBER THE URGE" está também descrevendo o estado mental atual [da banda].

Ruki: Bem, mais ou menos. Em relação ao meu próprio sonho elegante que eu tinha quando começamos a banda, o meu eu atual tem esse tipo de sentimentos. Ou, a partir de agora, a banda tem o desejo de fazer novas músicas que se voltem para crianças, mas não muitas.

- Ruki-kun, porque você acha que quer fazer música desse jeito agora?

Ruki: Deve ser por tocar no Dome. Naquele lugar, naquela hora, eu considerei meu próprio sonho e o status da banda, e comecei a contemplar profundamente o significado das coisas como unidade. Primeiramente, nós pensávamos "eu quero fazer aquilo", "eu quero fazer isso" e "a banda quer fazer aquilo". Se nós continuarmos cedendo aos nossos impulsos e correndo com eles, nós vamos ter boas idéias e um por um nós chegamos à conclusão, "Oh, então foi assim?!" e acabamos nos sentindo estranhamente pequenos. Mesmo agora descobertas do tipo "Ah, acabou se tornando cheio de coisas que são mais do que eu conseguia enxergar no começo" estão se tornando mais frequentes. Nessa letra [de Remember the Urge], aquelas são as coisas que eu pergunto para mim mesmo a respeito da minha música.

- Há essa frase na letra: "um sonho fugaz~". Saindo do atual Ruki-san, essas palavras parecem ter um significado profundo.

Ruki: Anteriormente, no momento em que nós estávamos tocando no Tokyo Dome, antes que eu pudesse perceber eu comecei a notar as coisas que nós estávamos começando a esquecer, portanto, isso se tornou uma grande preocupação para o meu eu atual. Embora nós não estivéssemos mudando quando o público estava assistindo, antes que pudéssemos perceber tornou-se um lugar onde nós podemos mudar nossa auto-consciência. Portanto, não faz tudo se tornar puro? Até então, já que estávamos nos apresentando sem corrigir os erros, aquilo também me fez acreditar mais nesse tipo de sentimento.

- O pensamento nessa frase da letra "Não há apenas uma verdade?", meio que resume esse sentimento.

Ruki: Sim. Eu acho que se você faz algo, provavelmente a resposta final não será limitada a apenas uma resposta.

- Ao mesmo tempo, vem ao meio a expressão em inglês "~disturb it now [~perturbe agora]", certo? Essa sobreposição é também uma forte mensagem inserida para os ouvintes que podem ser ouvidos.

Ruki: Se eu fosse falar de mim mesmo, os pensamentos na época em que eu queria fazer uma estréia major [com uma gravadora] ou tocar no Dome, todas aquelas coisas não foram simples metas? Enquanto aquelas coisas eram voluntariamente realizadas de maneira descuidada, um desvio definitivamente iria aparecer disso tudo, não é?!

- Eu acho que não é tão raro ter estudantes ou trabalhadores de empresas que são pegos em uma armadilha. Essencialmente, no caso da escola que você quer entrar, ou de ir bem em seu departamento, há um grau de consciência do tipo "se você pelo menos conseguisse chegar lá, tudo iria funcionar bem de algum jeito", e então em um flash "fazer qualquer coisa além daquele ponto seria muito bom", se torna confuso.

Ruki: Exatamente isso. Essas letras, como o significado por trás de "Vortex", também estão relacionadas umas com as outras. Realidade e encarar um ao outro, enquanto de vez em quando fazer as coisas do seu jeito, também são coisas que eu estava descrevendo.

- Então dá pra entender facilmente como o título da música acabou sendo "REMEMBER THE URGE", certo?

Ruki: Claro, já que não há problema em interpretar o título literalmente, nesse momento e também a algum tempo atrás, eu tentei dizer que depois, quando você olha pra trás, você começa a entender muita coisa, certo? Em relação ao the GazettE, "Vortex" e essa música são algo novo que começamos, eu acho que o entendimento vai eventualmente tornando-se claro.

- Em adição, vocês gravaram outras duas músicas para esse single. Primeiramente, sobre "CLEVER MONKEY", parece que a letra também é composição do Ruki-san, certo?

Ruki: Para essa música, na época eu tinha feito "LUCY" [Um dos dois conceitos dos dois shows por local que o the GazettE fez, um com nome de LUCY e outro ABYSS, com setlist e figurino diferente pra cada um] e a sensação de "em um live, eu queria uma música mais assim" me influenciou. Letras... apenas colocando-as me deu uma música "sem restrições". *risada amarga*

- Talvez seja como uma continuação de "Hyena" e "HEADACHE MAN", há uma consistência do tipo "na realidade, há uma série sobre um bastardo problemático" aqui?

Ruki: Parece, não é? *risada amarga*

- Ruki-kun, parece que você vê profundamente através das pessoas e situações a sua volta, certo?

Ruki: Não é assim. Se não há nenhum real dano a nós mesmos, então as pessoas de alguma forma tornam-se inconsequentes.

- Então, vamos perguntar sobre a outra música "Chijou". Ao contrário do título, essa tem um toque molhado e letra profunda que solta uma presença única no mundo da música de tons profundos, certo?

Ruki: Eu também escrevi essa música bem na época que estávamos fazendo ABYSS. O tipo de mensagem que eu estava escrevendo era sobre como nós nos encaixamos nesse mundo, mas como essa música não se completa de forma regular.

- No entanto, o título "Chijou" na verdade tem um grande impacto.

Ruki: Tem um tipo de sentimento feminino, huh? Mesmo que tenha algumas coisas terríveis, também há uma emoção incrivelmente pura. Tendo esses tipos de palavras impuras, saiu um título do tipo "Chijou".

- A propósito, Ruki-san, você tem esse "tipo de garota" próxima a você?

Ruki: Isso... não seria perigoso?!

compartilhe nas redes sociais

Comente com o Facebook:

3 comentários:

Aninha disse...

Obrigada Ruby!!!

humm... Ruki saindo pela tangente né??? ^^/

Anônimo disse...

"- A propósito, Ruki-san, você tem esse "tipo de garota" próxima a você?

Ruki: Isso... não seria perigoso?!"

GUDSOUDUODUDSOUFSDSUOIFUDG Ruki, seja mais discreto. XD
obrigada pela tradução, mesmo. <333333

ShiniZ disse...

eu adoro a RTU, o pv também.

Eu acabei de colocar a música pra ler com a entrevista =D

Obrigada GMaiden pela tradução ^^

Postar um comentário