11.2.12

hevn 008 - Outubro 2003: Entrevista com o Ruki

A distressedcoma traduziu para o Inglês uma antiga entrevista pessoal com o Ruki, que saiu na revista hevn 008 de Outubro de 2003. Os scans da revista podem ser encontrados no tumblr dela, aqui e aqui. (Ela pede para não repostar os scans, então se quiserem compartilhar, deem reblog).

Como sempre muito fofa, ela nos deixou traduzir a entrevista para o Português e a Sayu fez a tradução. Muito obrigada, Sayu!
Na entrevista, ele fala sobre sua vida escolar e sobre o trabalho do Gazette na época. Dá para comparar o que mudou e o que não mudou na visão da banda/Ruki desde aquela época, bem no início do Gazette até hoje.

hevn 008 - Outubro 2003 | Ruki Personal Interview | Tema 【Passado = Presente】

Tradução Japonês-Inglês: distressedcoma na comunidade defectivecoma
Tradução Inglês-Português: Sayu

O que tiver entre colchetes "[ ]" também são explicações que a Sayu acrescentou.

-----

-- Ruki-san, quando você era pequeno, que tipo de criança você era?

Ruki: Meus pais sempre me disseram que eu era uma criança que fazia amigos facilmente. Eles me disseram que mesmo quando nos mudávamos [de casa] eu era do tipo que fazia novos amigos rapidamente, e logo ia pra casa de todos os meus amigos [No Japão, ir pra casa de alguém assim é considerado algo de muita intimidade. Não é igual aqui que às vezes a gente conhece a pessoa já dentro da casa dela. Lá é preciso ser muito amigo e de muita confiança pra ir. Isso significa que o Ruki ou era “entrão” mesmo ou tão adorável que os pais dos amiguinhos não se incomodavam dele ir.] Eu estava constantemente me mudando... (risos). Eu tive uma vida pré-escola [antes da escola] muito ativa.

-- Então você era uma criança bem afetuosa, ne. Esse ar sincero realmente não mudou desde então.

Ruki: Mesmo?

-- E depois, como foi na escola primária?

Ruki: Eu acho que o que lembro do primário é que eu esqueci/perdi muitas coisas... Eu também recebia punição física do professor toda hora [sempre] (risos).

-- Punição física?

Ruki: O que ele(a) frequentemente fazia era bater na nossa coxa com a mão enquanto gritava “Momiji!” (risos). Eu sempre esquecia o avental que tínhamos que usar na cozinha [na aula de culinária].

-- Você fez, certo, o único na sala. Mas fico contente por ser só um castigo bonitinho. Durante a escola primária, você participou de algum clube?

Ruki: Sim. Eu era do clube de mangá.

-- Então é por isso que Ruki-san é tão bom em desenho!

Ruki: Bem, vamos deixar pra lá. Era um clube suspeito, ne (risos) [No Japão todas as escolas têm clubes pros alunos fazerem atividades paralelas, eles têm liberdade de abrir um sobre o que quiser, com autorização da escola. Como quem administra são os próprios alunos, se um clube é “suspeito”, é porque talvez esse era realmente o objetivo do grupo.] Eu fui do clube de basquete até o meu quarto ano e depois disso participei do clube de mangá por dois anos. Mesmo assim, tinha mais ou menos 20 pessoas no clube. Todo mundo ficava desenhando mangá o tempo todo (risos).

-- Mesmo depois de voltar pra casa da escola você continuou a desenhar?

Ruki: Não. Desde pequenos, nós tínhamos bases secretas onde a gente brincava, certo?

-- Sim, e você só deixava meninos entrarem na base secreta! O que você fazia e brincava lá?

Ruki: A gente brincava de coisas tipo fazer bolinhos de areia e depois ficar “Essa é a nossa comida!” (risos). E a gente também ia andar de patins.

-- Então você era tipo um atleta?

Ruki: Não. Eu era muito ruim em jogos com bola. Me pergunto se eu era bom em andar de patins.

-- Depois disso, em que tipo de clube você entrou na escola secundária?

Ruki: Durante o primeiro ano [13 anos] eu fiz Judô, e durante o segundo e terceiro anos [14 e 15 anos] eu fiz basquete.

-- Eh, Judô! Incrível!

Ruki: Não é incrível mesmo. Teve uma cerimônia de boas-vindas para os novos alunos quando eu entrei nessa escola, certo? Naquela época o clube estava prestes a ser fechado e o professor orientador tava todo “eu não quero que esse clube seja perdido!” e logo depois de ver que ele estava quase chorando, eu e meus amigos ficamos tipo “Não é lamentável? Vamos nos inscrever no clube!”, aí entramos e foi isso (risos).

-- Você ficou surpreso [abalado/impressionado] por como seu professor deu tudo de si, não ficou? Mas era algo muito intenso, o que fez você sair do clube?

Ruki: O treinamento era intenso, inclusive aos domingos, era treino, treino, treino, não tinha folga e eu não me inscrevi no clube com esse tipo de motivação. Eu queria sair, mas não podia fazer isso tão facilmente. Mas chegou uma hora que eu quase não ia mais lá (risos). Mas isso foi na sexta série já.

-- Que faixa você era na sexta série [12 anos], mais ou menos?

Ruki: Bem, geralmente as pessoas têm a faixa branca, certo? Eu era uma acima, era faixa marrom. [No Japão, a classificação por faixas é diferente de no Brasil! Lá é branca pra iniciantes, marrom pra intermediários e preta pra avançados. Se Ruki era só uma acima da branca, que é só pra iniciantes, então ele provavelmente era o equivalente a azul ou amarela, no máximo laranja na classificação brasileira]

-- Você era muito forte!

Ruki: Não. Só ganhava muitas vezes por sorte (risos). Mesmo assim, tinha também os exames apropriados. [exames de faixa] Eu era meio que forçado a ir pro dojô fazer os exames. Primeiro eu ficava passivo e depois fazia o arremesso...  tipo assim. [Ele deve ter mostrado o movimento pro entrevistador] Até os meus pais acharam que eu tava levando o Judô à sério. Se passasse Judô na TV eles certamente me chamariam e ficariam “Hey! Olha isso!”.

-- E depois disso você fez basquete?

Ruki:
Eu me inscrevi nesse clube porque parecia divertido quando meus amigos estavam jogando. Mas eu não fiz absolutamente nada sério (risos).

-- E mesmo assim você tinha a faixa marrom! Talvez você devesse continuar agora...

Ruki: Nãããão, por favor me dá um tempo! (risos)

-- Quando você começou a fazer música?

Ruki: No terceiro ano da escola intermediária [equivalente à oitava série aqui, 15 anos] nós aparecemos como uma banda num show em um acampamento. Eu toquei bateria naquela época.

-- Mesmo? Por que você quis tocar bateria?

Ruki: Tive um mau começo quando decidi que queria estar numa banda (risos).

-- Depois disso você decidiu fazer música?

Ruki: Não. Pro ensino médio, eu queria freqüentar uma escola de design e queria me tornar um “Mestre Escultor” [formado em escultura], mas não tinha nenhuma escola dessa perto de onde eu morava, então não tinha outro jeito senão comutar [ter que fazer viagens diárias] pra outro lugar. Mas se eu fosse [pra essa escola], eu teria que fazer coisas como cerâmica e pintura à óleo e pensei “Isso não tem nada a ver com escultura!” e desisti de ser um escultor. Quando eu pensei que queria começar uma banda, formei uma com uns amigos e tocávamos os estilos mellow core e hard core ao mesmo tempo.

-- Entendi. Então é por isso que conseguimos identificar esses elementos também quando ouvimos o som do Gazette. Eles originaram do Ruki-san? São ótimos!

Ruki: Depois que saí dessa banda eu fui chamado como suporte pra uma banda de Visual-kei e eles me disseram “é divertido usar maquiagem!”.

-- Quando você se tornou um vocal?

Ruki: Antes de formarmos o Gazette eu estive numa banda por somente 3 meses junto com Uruha e Reita, mas o jeito que o vocal cantava naquela época não funcionava pra mim, então pensei no que os membros deveriam fazer. Foi assim. Justo nesse tempo eu estava criando músicas, e também inserindo as letras com minha própria voz. Quando Uruha ouviu, ele apoiou minhas músicas e disse: “Você! Você vai fazer os vocais!!” e eu tentei trocar a bateria por vocais por enquanto, mas aí a banda acabou (risos). Eu fiz os vocais pra uma session band uma vez e foi muito divertido. Depois disso acho que eu simplesmente queria me destacar (risos).

-- Então devido às palavras do Uruha-san, você declarou nascido o “vocal Ruki”, isso é ótimo.

Ruki: (risada tímida)

-- Então vamos passar a falar sobre o “presente”. Vocês vão começar uma tour com Vidoll em Outubro então, por favor, nos conte sobre seu entusiasmo.

Ruki: Eu me sinto vitorioso! Tenho muita auto-confiança! (falando em voz baixa)

-- Vocês também estão lançando “Hankou Seimeibun”, que tipo de gravação será esta?

Ruki: As músicas para a gravação dessa vez não foram feitas facilmente e foi bem penoso. As músicas foram sendo produzidas enquanto éramos encurralados [chegando perto do prazo final da gravadora, como sempre]. Poderiam dizer que é como a dor do parto, mas fico feliz que como resultado, pudemos apimentar de um jeito legal. Pra composição musical, eu acho que podíamos fundir o Gazette que temos sido até agora e o novo Gazette em um só. Nós simplesmente deixamos todos que nos ouvirem julgarem livremente, portanto não pretendemos mudar nem nada, só queremos fazer o que a gente quiser.

-- Comparado com suas gravações anteriores, mudou alguma coisa?

Ruki: Acho que quero cantar mais honestamente que antes, e também tem inglês nas novas músicas, então ao invés de pensar “Isso é tão cansativo!” enquanto consulto o dicionário, eu realmente quero lembrar as palavras em inglês. E tenho gostado de Hip-Hop ultimamente, então tentei misturar esse estilo com a música [DIS]. Como ficaria um pouco pobre se puséssemos só uma mistura de sons, eu quis criar um impacto ao adicioná-los. Embora façamos Visual-kei, todos os membros dizem “queremos tocar vários tipos de músicas!” mas não já tem nem tão poucas pessoas que já estão fazendo isso? [ou seja, já tem muitas] Quando estou criando músicas, estou sempre me dedicando em fazer tipo “Mesmo que esteja ouvindo em casa, as músicas que eu mesmo fiz devem ser algo que eu também possa ouvir lá” [músicas que ele possa ouvir num show mas que também possa ouvir tranquilamente em casa]. É por isso que “eu quero fazer vários tipos de músicas”.

-- Então crie uma nova cena! Por favor! Agora por gentileza nos diga uma mensagem [para nossos leitores].

Ruki: Acho que as músicas dessa vez não estão fáceis de se acostumar... talvez... certamente... Mas não quero defender nós mesmos [a banda], eu só quero que vocês nos aceitem [como somos]. Mas não é como se não fôssemos mais tocar as músicas como antes. Só quero que o Gazette atual seja legal. Por favor entendam isso. Ainda temos um longo caminho pela frente, então por favor nos tratem bem [YOROSHIKU!].

Enquete:

1. Por favor nos diga: Nome – Papel na banda – Data de aniversário – Tipo sanguíneo – Cidade natal.
R: Ruki – O cara que canta – 1 de Fevereiro – Tipo B – Shounan

2. Qual a primeira coisa que você faz quando acorda?
R: Fumo um cigarro.

3. O que você absolutamente tem que fazer antes de ir pra cama?
R: Apagar o cigarro.

4. Por favor nos diga qual sua comida preferida.
R: Spaghetti estilo japonês.

5. Por favor nos diga qual a comida que você menos gosta.
R: Pimentão verde, shiitake, morangos.

6. Você pôde assistir um filme recentemente? Se sim, por favor nos diga qual.
R: Não assisti nenhum.

7. Você tem algum strap ou algo assim no seu celular? Se tem, que tipo é?
R: Um Tsurushiguma, ganhei de uma fã. Global Stone (caiu). Gaze-strap.

8. Qual seu ponto forte?
R: Que eu sou cheio de pontos fracos.

9. Qual seu ponto fraco?
R: Que eu tenho pontos fortes.

10. Quando foi seu primeiro amor? Que tipo de pessoa era?
R: Eu esqueci mas era um aroma maduro sem ser doce...

11. No que você pensa antes de subir ao palco?
R: “Nada”.

12. O que você absolutamente tem que fazer antes de subir no palco?
R: Fumar.

13. O que você absolutamente tem que fazer depois de estar no palco?
R: Fumar.

14. Por favor nos fale sobre o sonho que você tinha quando era pequeno.
R: Eu queria me tornar um mangaka? Mas isso foi durante a escola primária (risos).

15. Você coleciona alguma coisa?
R: Ultimamente tenho colecionado chapéus... meio que.

16. O que você faz pra reduzir o estresse?
R: Subo no palco.

17. Nesse momento, de quem você mais sente falta?
R: Meu cachorro que morreu.

18. Nesse momento, qual é a coisa mais feliz que você consegue pensar?
R: Que a banda está indo bem.

19. Qual é a coisa mais preciosa pra você?
R: Gazette (incluindo os fãs).

20. Uma mensagem para seus fãs.
R: Por causa de vocês nós conseguimos brilhar. Essa será uma eterna amizade ☆

■Destaque■ Uma memória do Dia dos Esportes
[O Dia dos Esportes nas escolas do Japão é bem como aquelas gincanas que sempre aparecem em animes]

Ruki: Eu lembro que na época do Dia dos Esportes na escola secundária, eu acabei cometendo uma linda falha.

-- No que você falhou?

Ruki: A gente fez uma pirâmide humana. Aí a parte mais baixa tombou e eu caí...

-- Onde você tava quando isso aconteceu?

Ruki: Bem no alto. Foi lamentável, ne. Fuuu~... O silêncio... Eu achei que meus pais fossem dizer alguma coisa... Mas eles também não falaram nada. É uma lembrança amarga.

compartilhe nas redes sociais

Comente com o Facebook:

8 comentários:

Aninha disse...

Adoro quando o Ruki é espontâneo! E mais ainda em entrevistas antigas! Obrigada pessoal!

Shiroki_D disse...

ohmeldels~
Essas entrevistas antigas *o*~
Sankyuu~ por traduzir e postarem aqui /o/

E da pra notar muuuita diferença, no jeito do Ruki falar pro de hoje. Gosto dessas entrevistas porque da pra perceber o quanto eles evoluíram e LOL essa entrevista foi antes da tour com o Vidoll LOOOOOOL

"17. Nesse momento, de quem você mais sente falta?
R: Meu cachorro que morreu."
Sabu-chan [?] ;o;

E nem vou comentar da quantidade de vezes que o Ruki falou sobre fumar, e tem outras entrevistas que ele fala muito, e são sempre as mais antiguinhas x.x Agora acho que ele se controla mais pra falar sobre isso -Q

Kakasha disse...

ohh *o* que entrevista mais fofa! *U*
adorei.. queria que aqui no brasil tivesse aula de culinaria tbm..deveria ne ;; faz falta pra muitos qq / acho mais necessario do que artes -___-; e isso sobre piramide humana lembrei da minah epoca de escola xD ..final do ano,na escola onde eu estudava,os meninos tinham q fzr isso tbm ..e qse sempre tinha um que caia lkalkslaks xD e podia ate repitir de ano pr isso em ed. fisica o.õ
entrevista muito linda..o jeitinho do RUKI nessas entrevistas antigas..tao mais fofo ;3; <3 seria legal se houvesse dos outros membros tbm x333


~Por causa de vocês nós conseguimos brilhar. Essa será uma eterna amizade ☆~ que lindo ;; ♥

obrigada Ruby e Sayu-chan (^.^)

Anônimo disse...

Eu adoro as entrevistas do Ruki *-* a maioria delas são muito amor, principalmente essa mais antigas. Ele falando da epoca de escola e do que fazia foi tão legal *-* Não imagino ele jogando basquete nem lutando Judô (-q)

"-- Então é por isso que Ruki-san é tão bom em desenho!

Ruki: Bem, vamos deixar pra lá. Era um clube suspeito, ne"
SHAUSHUAHSU suspeito hum... otakus-q

"-- Então você era tipo um atleta?

Ruki: Não. Eu era muito ruim em jogos com bola. Me pergunto se eu era bom em andar de patins."

Mano Ruki tamo junto nessa '-' sou péssima em esportes com bola too

"-- Mesmo? Por que você quis tocar bateria?

Ruki: Tive um mau começo quando decidi que queria estar numa banda (risos)."

NUNCA DEIXE O KAI LER ISSO-q
poxa mas eu gosto de bateria, pra mim é o mais importante


"8. Qual seu ponto forte?
R: Que eu sou cheio de pontos fracos.

9. Qual seu ponto fraco?
R: Que eu tenho pontos fortes."

WTF???
Não devia ser ao contrario? e-e

Toda vez q ele falava fumar eu tinha um surto, pq eu morro de medo q ele pegue câncer um dia y-y

Obrigada a Ruby por postar e a Sayu-san por traduzir <3
Nem sei o q seria de mim sem o BF xD

by:Iris

ShiniZ disse...

nossa é tão bom ver entrevistas antigas, saudades daquela época né?

E por o niver dele tá dia 2 de fevereiro D: no no no.

Gente fico imaginando o ruki pequenininho fazendo judô, coisa fofa *O*

Ruki sei paia, largue esse cigarros! u.ú....

Ruby disse...

Verdade, na tradução tá 2 de fevereiro e eu nem me toquei quando fui revisar ._. Bem, mudei......

Lee disse...

Owwn que bonitinha essa entrevista :3 Amo ler as mais antigas ^^ O Ruki devia ser uma criança muito fofa... Fiquei imaginando ele com essa altura toda jogando basquete xD

Nami disse...

O Ruki é tão amorzinho ;3;~♥ Ele devia ser o menininho mais fofo fazendo bolinhos de areia! *o*

Morri:
"17. Nesse momento, de quem você mais sente falta?
R: Meu cachorro que morreu."

Ele devia gostar muito dele T3T

Pára de fumar, Ruki-sama! x-x

Postar um comentário