12.3.12

Tradução - PS mobile MAGAZINE Vol. 5 (Entrevista)

Como eu disse em uma notícia anterior, o PS mobile publicou parte de uma entrevista com o the GazettE sobre os 10 anos da banda, em uma seção chamada "PS mobile MAGAZINE". O link só pode ser aberto pelo celular.

A distressedcoma me deixou traduzir a entrevista para o Português e postar aqui no blog (Thank you!), portanto, estou postando aqui para vocês. Eles falam sobre o comecinho da banda, e sobre como o Kai entrou no Gazette. A parte 2 da entrevista deve sair no Vol. 6 da PS mobile MAGAZINE.

Makuhari Messe Kokusai Tenjijou Hall 10
the GazettE 10TH ANNIVERSARY
Em Direção ao THE DECADE

Tradução Japonês-Inglês: distressedcoma na Comunidade defectivecoma
Tradução Inglês-Português: Ruby (Denise) (Postado com permissão da distressedcoma/Posted with permission)

-----

RUKI: A setlist será baseada na enquete que os fãs responderam, então basicamente o conteúdo [do live] será o que os fãs decidiram. Nós ficamos muito surpresos com o resultado inesperado da enquete (risos). Frequentemente nós ficamos sem entender porque essa ou aquela música foi escolhida (risos). Mas nós realmente gostaríamos de transformar isso em um live especial.

Entrevista sobre o 10º Aniversário do the GazettE

Como é o 10º aniversário do the GazettE, a banda provavelmente está dando muitas entrevistas onde o seu passado é relembrado. Mas nós persistentemente perguntamos aos membros sobre a época em que o the GazettE foi formado e sobre histórias desconhecidas daquela época. Que episódios nós vamos escutar dos caras que desenterraram suas antigas memórias para nós?

Nosso primeiro live não foi nada espetacular.

― 10º aniversário…… nessa ocasião, eu acho que frequentemente vocês refletiram sobre o passado, mas aqui nós não iremos simplesmente olhar para trás (risos). Enfim, eu acho que para começar, nós queremos focar em um ponto do tempo, há 10 anos atrás, quando o the GazettE nasceu. O quanto vocês se lembram claramente daquela época?

RUKI: Eu me lembro de muita coisa claramente…… talvez (risada amarga).

― Primeiro nos conte sobre a época em que a banda nasceu!

RUKI: O que eu me lembro daquela época é do primeiro show solo que nós fizemos depois que a banda foi formada.

― Como foi?

RUKI: Ah, bem, se eu falar sobre isso em detalhes… isso ficaria um pouquinho longo (risos). Mas eu me lembro muito bem do momento em que nós aparecemos na cena de lives.

REITA: Nosso primeiro live não foi nada espetacular.

Uruha: Nós éramos um destaque de um evento, então na verdade aquela era uma posição relativamente boa.

― Então por que não foi espetacular?

RUKI: Ninguém veio para nos assistir. Geralmente, quando você faz o seu primeiro live, os seus fãs de sua antiga banda aparecem para assistir [a sua nova banda], mas como nós tínhamos formado e rompido várias bandas antes disso [do Gazette]...... nós formamos o the GazettE embora já tivéssemos perdido completamente todos os nossos fãs naquele ponto. (risada amarga)

― F-foi mesmo?

RUKI: Eventos tipo os que a PS COMPANY está fazendo agora (como Chichuu Roukaku) não eram conhecidos e as pessoas também não necessariamente apareciam principalmente na AREA (Takadanobaba AREA). Eu acho que você realmente tinha que ser muito sério com relação a estar em uma banda.

― Como o Kai-kun só se juntou à banda depois, você não pôde ver o the GazettE daquela época objetivamente?

Kai: Eu fui assistir o live deles.

REITA: Você era de outra banda que ia tocar lá?

Kai: Não, naquela época eu ganhei um passe de uma outra banda e então eu fui assisti-los.

― Essa não é uma testemunha preciosa?! Como você viu o the GazettE?

Kai: Naquela época o the GazettE chamou muita atenção. Me disseram que eles “reuniram 100 pessoas”.

RUKI: Eh? Não reunimos! Mas na verdade eu gostaria de saber quantos visitantes nós tivemos.

Uruha: Não pergunte isso! (risos)

Kai: Já tinham cerca de 100 a 120 pessoas. Mesmo sendo com outras bandas, isso não é mais ou menos a mesma coisa do que em um oneman [solo]?


RUKI: Mas foi menos que isso (risos).

― Mas mesmo assim vocês mobilizaram cerca de 100 pessoas, certo? Isso não é incrível? [Tantas pessoas vieram] embora não tivesse passado muito tempo desde o seu primeiro live.

Kai: Eu achei que eu com certeza iria!

― E aí você pensou em entrar na banda?

Ka: Não, naquela época isso era muito embaraçoso. Quando eu comparava isso com a banda em que eu estava na época.

― Você já conhecia os membros?

Kai: Não, eu não conhecia nenhum deles (risos).

― Bem, então quando você os conheceu?

Kai: Naquela época teve uma oportunidade de se fazer uma troca entre os membros de várias bandas, para se formar session bands. Tinha uma parte do meu figurino que estava faltando naquele dia, então o ponto de partida foi basicamente quando eu pedi algo emprestado.

RUKI: Eu nem me lembro disso.

― O que você pediu emprestado?

Kai: Uma corrente para carteira (risos).

RUKI: Isso não tem nada a ver com figurinos! (risos). Ei, e você eventualmente devolveu aquela corrente?

Kai: Sim, sim (risos). Naquela época, nós só trocamos os nossos telefones. De qualquer forma, eu não consegui esquecer o live do the GazettE que eu tinha assistido antes. Mas eles já tinham um baterista...... mas aí eu ouvi dizer que o baterista do the GazettE estava saindo da banda. Nesse ponto do tempo eu mal tinha conversado com qualquer um dos membros, mas eu tomei toda a minha coragem e fiz uma ligação. Como foi muito repentino, nós conversamos a respeito do porquê que eu queria entrar na banda e se alguma coisa tinha acontecido.

RUKI: Sim, nós estávamos procurando por um baterista! Mas também havia outros candidatos! (risos) Eu tinha ouvido falar do Kai-kun de alguém que eu conhecia, mas ele mal o recomendou para mim (risos). Então eu fiquei realmente perplexo. Depois disso, nós decidimos chamar alguém, mas essa pessoa imediatamente desistiu. Nesse ponto eu já estava realmente preocupado, porque nós já tínhamos lives agendados.

Uruha: Sim, logo depois que nós decidimos que o Kai-kun se juntaria a nós, tivemos que tocar em um live! (risos)

RUKI: Mas o Kai-kun mal conhecia as músicas, né? (risos)

Kai: Bem, meus pensamentos eram bem otimistas, né? (risos)

RUKI: Eu achei que nem nós sabíamos as músicas direito. Nossos CDs também não venderam e isso foi um dia antes de um live.

Kai: Eu memorizei tudo em uma noite sem dormir… foi intenso.

REITA: Você deve ser um gênio pra ter conseguido tocar tudo depois disso (risos).

― Qual foi o resultado?

RUK: No final da apresentação, nós fomos interrompidos bem no meio. Mas aquele foi um ponto crucial.

― Eh? Aquela foi a decisão dos membros?

RUKI: Sim, mas ele parecia estar prestes a chorar (risos).

Kai: Eu não parecia não!

RUKI: Você estava quase chorando!

Kai: Eu só fiquei pensando “o que eu devo fazer agora!” (risos). Eu senti que qualquer coisa que eu fizesse, eu não conseguiria fazer (risada amarga).

RUKI: E ainda assim, os fãs começaram a falar e dizer coisas do tipo “tadinho” e tal (risos). Poucos convidados gritaram “fique firme aí~!”. Isso foi como a primeira ligação entre nós. Foi um live que fizemos junto com o Kra.

REITA: Foi indesculpável em consideração ao Kra (risada amarga).

RUKI: Se a apresentação é interrompida, normalmente você não pensaria “Eh? Isso é impossível!”? Mas para nós, foi algo mais do tipo “de certa forma isso é bom”.

Kai: Foi completamente fora de comparação, não foi? (risada amarga)

― Que história legal! Vocês realmente estavam em uma crise, mas também foi uma ótima chance, certo?

Kai: Eu realmente achei que eles iriam me dizer que eu estava despedido! Mas depois daquilo, os membros me disseram “Estamos ansiosos para trabalhar com você a partir de agora”, eu fiquei tão feliz!

Uruha: Desde o começo estava claro que você não estaria em condições de fazer isso.

RUKI: Ninguém ficou bravo. Nós só pensamos “é assim mesmo”.

Aoi: Naquela época nós estávamos cheios de motivação, né? (risos). Entretanto, o Kai-kun foi muito malvado naquela época! (risos)

Kai: M-mesmo?

Uruha: Isso me lembra, quando eu o cumprimentei, ele simplesmente me ignorou (risos).

Kai: N-não…… não foi isso… uhm, naquela época, muitas coisas estavam acontecendo. Na verdade eu tinha sido convidado por várias outras bandas, e realmente senti que eu deveria escolher o the GazerttE, mas não poderia exatamente dizer em voz alta que eu estava feliz ali.

― Você quer dizer que você começou a compará-los? A pessoa tenta escolher as melhores condições, certo? (risos). Só que as histórias que nós escutamos até agora, não parecem estar relacionadas aos avanços agradáveis do the GazettE (risada amarga). Me pergunto o que foi que abriu o caminho......

[Continua...?]

compartilhe nas redes sociais

Comente com o Facebook:

2 comentários:

Shiroki_D disse...

oh, além de traduzirem rápido pro inglÊs, Ruby já traduziu pro português xD
Sankyuu ;3~

E coitado do Kai, mas ter entrevistas que eles falam dessa época é o melhor. Por mais que algumas coisas já tenham sido citadas em outras entrevistas, sempre tem um detalhe ou outro novo que ainda não sabemos xD
E o época difícil pra banda @.@

Francine Porfirio disse...

Eu adoro entrevistas que remetem ao passado!
Nossa, algumas coisas agora clarearam para mim. Sentia falta de informações sobre a formação da banda. Agora entendi realmente como se cruzaram durante os lives.
Aliás, o Kai realmente deu o melhor de si. E creio que isso foi o que notaram nele desde o início. *¬*

A época foi difícil para a banda mesmo. Fico cada vez mais feliz ao pensar que eles não desistiram. =)

Postar um comentário