29.9.12

[Tradução] Entrevista do Aoi para o Club Zy. (Parte 3)

Confira abaixo a tradução de mais uma parte da entrevista do Aoi para o site Club Zy.,que foi publicada durante o mês de Setembro.

A tradução para o Inglês foi feita pelo @theGazettE_INA, mas tiveram algumas coisas que eu não entendi bem nessa parte. Então eu tirei algumas dúvidas com a fallensublimity@LJ, que me deu a opinião dela sobre algumas passagens do artigo e também traduziu outras partes de um jeito mais claro pra mim. Então para quem leu em Inglês e também for ler a versão em Português, tiveram alguns trechos em que eu usei as explicações/traduções dela.

club-Zy: Entrevista Especial em 4 partes: Aoi (the GazettE) / Parte 3
(Parte 1 | Parte 2 | Parte 3 | Parte 4)

Tradução Japonês-Inglês: the GazettE Indonesia
Tradução Inglês-Português: Ruby (Denise)

-----

Fotos por Takehiro Suganuma / Entrevista por Ayano Nishimura

Part 3: A “distorção” que nasceu na banda. “Composto por um ótimo equilíbrio”

-- Anteriormente nós exploramos o que você teria em mente a respeito de fazer um projeto solo..... mas e na posição de Aoi do the GazettE, como você se vê?
Aoi: Mesmo enquanto eu estou no meio dos membros, eu sinto como se...... fosse julgado pela quantidade de influência que nós temos. Eu também sou um membro, mas com relação ao the GazettE, eu fico pensando se eu posso dar a minha contribuição ou não. [Sobre essa parte da influência, eu não entendi muito bem o que ele quis transmitir, nem aqui e nem no restante dessa parte da entrevista. Perguntei para a fallensublimity e ela também não conseguiu entender bem e disse que não sabe se “influência” seria a palavra correta pra se colocar aqui. Mas traduzi como “influência” mesmo.]

-- Com certeza é julgado pela sua influência, certo. Aoi-san é o mais velho e, além disso, quando nós fizemos a primeira entrevista há 4 anos, dentre as cinco pessoas você via os seus arredores com mais frequência, nos via de forma objetiva e com você eu senti que podia conversar. Entretanto, eu sinto que o curso da conversa até agora é mais interessante. Quando uma banda continua por muito tempo, parece que distorções acabam surgindo. Quero dizer, há outros artistas que acabam fazendo [projetos] solo também. Mas com relação à parte interessada – o the GazettE – eu acho que você não quer que o projeto seja como o the GazettE. [Também fiquei em dúvida sobre essa última frase e perguntei para a minha amiga. Ela disse que não tem certeza sobre que sentido seria, mas ela traduziria (sem ter 100% de certeza) como “Mas com relação a você, eu acho que você não quer que o the GazettE se transforme em “projeto the GazettE”.]
Aoi: Eu acho que a banda não é sobre colocar ênfase na opinião de alguém. No momento, como as coisas que o RUKI produz se tornaram um eixo, a palavra do RUKI é tão forte que está se tornando algo tipo...... esses 4 homens criam algo que o RUKI tem em mente. Isso é importante para dar continuidade ao the GazettE e manter a nossa visão de mundo como artistas, mas eu me pergunto se há uma pequena parte onde nós chegamos a um estado onde nós não conseguimos mais ouvir as opiniões externas.

-- Ah, não era o que o Aoi-san estava tentando salientar até agora? Nós conversamos sobre isso há um tempo; sobre não podermos nos ver objetivamente embora achamos que nós podemos. E sobre se esse não é o papel do Aoi-san. Embora eu ache que esse é um recurso para a banda.
Aoi: Sim. Entretanto, mesmo se houver pessoas que possam julgar objetivamente, ainda assim você tem que perguntar, né? [Perguntar pelas opiniões dos outros, talvez?]

-- Fora o RUKI-san, nenhum de vocês têm algo a dizer [com relação à banda]?
Aoi: Bem, então. RUKI junto com o Uruha estão ficando mais fortes na produção dos sons. Eles tiveram várias experiências anteriormente e adquiriram autoconfiança, então eles conseguem expor as suas opiniões livremente. Mas como o Uruha também não escuta a opinião dos outros, ele tem a parte boa de possuir o poder de persistir e também tem a parte ruim de transpor as resistências. Eu, Reita e Kai, seguimos em concordância com os outros dois [ou seja, eles se adaptam às idéias/opiniões do Ruki e do Uruha]. Bem, como eu não tenho confiança para expor as minhas opiniões e tudo mais, eu hesito e é por isso que quando alguém expressa [sua opinião] eu não tenho problema em me adaptar a ela; mas se “adaptar” é considerado importante, então os sons individuais podem não ser expressos.... Realmente, isso é composto por um ótimo equilíbrio. 

-- Então tiveram vários conflitos nessa produção, né. Certo, esse tópico é completamente diferente, mas uma recompensa! Para você que trabalhou duro; teve alguma coisa?
Aoi: Uma recompensa?? Me pergunto o que tenha sido. Talvez as duas guitarras que eu encomendei para mim. Elas ficarão prontas no outono, estou realmente ansioso por isso.

-- Eu não sei quando, mas no futuro, quando você fizer a sua estréia como músico solo, você também vai fazer uma música. Nós também estamos ansiosos por isso.

compartilhe nas redes sociais

Comente com o Facebook:

1 comentários:

willjoong disse...

o the gazette é na minha opinião a banda com mais união e capacidade de produção que eu já vi e ouvi..! conheço muitos artistas asiáticos e com certeza o crescimento e fama deles não é a toa.
o futuro projeto solo do aoi vai com certeza apurar as suas técnicas e vai conquistar mais fãs para os shows do gazette.

Postar um comentário