21.2.14

Report do Ruki sobre a World Tour (Revista VA)



Como postado anteriormente, a seção "RUKIの万屋" da revista VA trouxe esse mês um relato do Ruki sobre a World Tour 13. A revista é de distribuição gratuita e foi lançada no dia 20/02.

O site VA Another Side publicou o artigo e fotos dessa seção, clique aqui para ver.
O Instagram da itsumi_hara publicou uma prévia da revista, veja aqui.

Abaixo está a tradução em Português do artigo.

Revista VA - Report do Ruki sobre a World Tour

Tradução Japonês-Inglês: inspirationdead
Tradução Inglês-Português: Ruby (Denise)

-----

No ano passado, a World Tour foi realizada na América do Sul na primeira metade de Setembro, e na segunda metade do mês, nós fomos para a Europa. As condições das casas de shows não eram muito boas, mas quando você relembra, foi bem divertido no fim das contas. Entretanto, no exterior as casas de shows abrem às 20:00 e é por isso que nós não pudemos fazer apresentações muito longas – elas duraram cerca de uma hora e meia. Mesmo assim, para nós a primeira hora começava de manhã bem cedo, de alguma forma (risos). Depois de entrarmos na casa de shows, nós ensaiávamos e então ficávamos só esperando [até a hora do live começar]. Quando estava quase chegando a hora do show, nós ficávamos com sono (risos).

Sobre as set lists da world tour, elas estavam centradas nas músicas dos álbuns “DIVISION” e “TOXIC”. Músicas como “SHIVER” empolgavam os fãs estrangeiros. 6 anos se passaram desde a nossa primeira world tour e dessa vez nós levamos as luzes, etc, que nós usamos no Japão – isso adicionou um estado de espírito, acho.

Comparando os países estrangeiros com o Japão, o som não saía sólido e era seco. Havia uma limitação no som, nós não conseguimos produzir um som firme, mas mesmo assim os fãs se empolgaram. As pessoas da Europa eram mais parecidas com os fãs Japoneses em termos de animação, eles escutam quando a gente toca, mas o público na América do Sul era bastante feroz. Eles não faziam headbang e nem crowd diving como no Japão, mas parece que o público do Brasil foi o mais entusiasmado? Como o México fica em uma região montanhosa, o ar é rarefeito e é por esse motivo que nós não nos sentimos muito bem. Não dá para usar inalador de oxigênio. É ruim de usar, então talvez no fim das contas nem daria para se sentir revigorado (risos). Eu decorei as frases pro MC para cada live, mas... Eu esqueci (risos).

Toda a migração de um país para outro foi desagradável. Nós viajamos para o México passando por Washington, então nós ficamos 19 horas dentro do avião. Como nós mal dormimos, nós pensávamos “ah, o que estamos fazendo aqui?”. Quando aterrissávamos, tínhamos que passar pela imigração, mas  estávamos tão cansados... Nós realmente não estamos acostumados com isso. Além disso, havia muitos fãs esperando por nós nos aeroportos e quando descíamos do avião, nós não conseguíamos fazer nada a respeito daquele entusiasmo [dos fãs] (risos). Mas depois de assistir o DVD de novo, aquela recepção faz com que você se sinta muito feliz.

Na Europa nós viajamos de ônibus. Foi terrível. Teve até uma viagem de 16 horas e enquanto estávamos dentro do ônibus, nós finalmente conseguimos dormir bem rápido, porque o nosso espaço estava limitado a um pavimento.

Entre as turnês na América do Sul e Europa, nós voltamos para o Japão uma vez. Nós voltamos para casa,  fazemos a mala, amanhece... o tempo era curto, mas a gente só consegue relaxar de verdade na nossa própria casa, né? É por isso que eu achei que ir para a Europa [logo depois de ter voltado para casa] foi horrível.

No fim das contas aconteceram vários incidentes no exterior. No México, quando eu entrei no meu quarto de hotel, tinha um estrangeiro desconhecido sentado lá, que me perguntou “Same room?” [“Mesmo quarto?”]. E eu respondi “Não é same room!” [“Não é o mesmo quarto!”. "Same room" estava escrito em katakana] (risos). Parece que reservaram o mesmo quarto para duas pessoas diferentes. Além disso, no México, de alguma forma uma carta de fã chegou no quarto do Aoi. Parece que alguém do staff do hotel deu um jeito [de fazer com que a carta do fã chegasse no quarto do Aoi]...

Durante a nossa busca por um local para fazer um dos photoshoots, os passaportes, bolsas e equipamentos dos membros do staff que foram deixados no carro foram roubados. Então, quando nós estávamos nos preparando para o live, os membros do staff tiveram que ir na embaixada. Nos disseram que temos que andar com todos os nossos pertences de valor, então a culpa é deles que eles não fizeram isso (risos). O Japão é mais seguro, né.

Durante o nosso tempo livre, eu fui fazer compras. Na Argentina, eu visitei a mesma loja todas as manhãs e comprei algumas roupas estilo ocidental. Mas quando eu voltei para casa, eu me perguntei “Eh? Por que você comprou isso?” (risos).

Embora várias coisas tenham acontecido, da próxima vez, para [a world tour] ficar completa, eu gostaria de ir para outros países também. Gostaria de visitar a Ásia e os Estados Unidos!

compartilhe nas redes sociais

Comente com o Facebook:

9 comentários:

shima_waka disse...

"Músicas como “SHIVER” empolgavam os fãs estrangeiros" Povo tava animadíssimo mesmo gritando ‘Miseinen’ SHIUAHSUIAHSUIHASUIUIAS

"nos disseram que temos que andar com todos os nossos pertences de valor, então a culpa é deles que eles não fizeram isso (risos)." tadinhos JSAOISOIJOIJAO mas também, como o motorista deixa o carro aberto em São Paulo? q

Enfim, que fofo <3

Obrigada pela tradução, Ruby!

Anônimo disse...

Parece que eles não gostaram das condições das Casas de shows rs, Eu não sei como era a casa de shows dos outros paises, mas realmente a do brasil.. não era muito boa (Apesar que mesmo assim, na hora do show.. foi incrivel e perfeito!). Nossa e agora eu entendi, porque o Show não foi tão grande como é no Japão T-T ahh então foi por isso o-o
e realmente eu lembro que aqui no show do brasil, só eu me matando no Headbang, e ninguem dando Headbang do meu lado.. achei estranho até na época..
e pelo jeito o Ruki não gostou das migrações de país pra país rsrs
mas gostei muito dessa entrevista com ele *-*
Obrigado pela tradução Ruby
Rukasu ~ ♥♥

thainara munhoz disse...

Bom, sem duvida o Japão é melhor que o todos os outros países no mundo huehue, mas o que eu acho é que eles n estavam acostumados com tudo isso, tanto na questão do transporte quanto na questão do roubo e das confusões (carta pro Aoi)... e bem, eu vi alguns videos da World Tour, e até a minha mãe reparou que a diferença era grande com os lives que ele faziam no Japão kkkk
Mas eu gostei quando ele disse que o Brasil foi o mais animado :3 nós sempre somos os mais lokos kkk, acho que isso é bom :o, eles podem ter se assustado um pouco pq acho que os fãns japoneses são mais pacíficos! kkk
Eu particularmente fiquei conhecendo GazettE por SHIVER (Sebastian dlç), acho que o anime deu uma boa divulgada na musicas dele, talvez seja por isso! :3

Obg Ruby! *--*

Mymy :3 disse...

Nossa! Só de ler passei mal! Sério! Me deu até dor de cabeça! Por que eu odeio viajar! Eu não acredito que eles aguentaram tudo isso! Viajar muitas horas de ônibus me faz passar muito mal... Credo!! Tadinhos! ; - ;

E eu ainda acho um absurdo! Eles terem sido roubados... Como pode isso? O - O putz!

E eles ainda estão pençando numa proxima wt? Realmente são ums amores adoráveis! Por que se eu fosse eles... Nunca mais! XD

E eu concordo super! Com a Thainara! Também acho que o Japão é sempre melhor! (.U - U.) E ela têm razão sobre "Shiver" e "Kuroshitsuji" ;) eu acho! Por que penço o mesmo a respeito!

Eu conheci o Gazette por Zatsu! Essa foi a primeira música deles que ouvi... E me apaixonei! Mas particularmente... Minha música favorita da banda é Shiver! Sem dúvidas! Eu amo essa música! Y v Y

Eu adorei a entrevista! Que fofo! :3

Muito obrigada! Ruby! :)

Mymy :3

Mira disse...

Concordo com o Ruki sobre o horário dos shows na Europa... é demasiado tarde para quem tem de apanhar transportes públicos para voltar para casa.... já houve algumas peças de teatro que eu gostava de ter ido ver, mas eram demasiado tarde...

Tendo sido a primeira world tour "a sério" deles é natural terem havido várias situações mais chatas, mas acredito que sejam coisas que se resolvem com melhor planeamento e com o ganhar de experiência.
E o facto de não estarem habituados a viajar também deve de ter contribuído para não gostarem da parte da migração.

Para a próxima vai correr melhor!! ^^

Já agora, eu conheci the GazettE com Guren! ^^

Obrigada Ruby! :)

Erika Yuu disse...

Nossa, eu fiz tanto headbang que fiquei com o pescoço doendo hauhauhauah

Yuki Hirasawa disse...

Kkkk, se eu estivesse no show eu concerteza seria a mais lokona!
Ooww, ele falou que o Brasil foi o mais animado! :3
Tadinho deles! Realmente deve ter sido chato essa migração de país pra país! E as confusões não ajudaram muito!
Já eu conheci The GazettE pela música Shiver, graças ao Kuroshitsuji, mas só depois quando escutei My devil on the bed, Vortex e Zetsu que eu fiquei fã da banda!
Minha música favorita é Shunsetsu no koro, Red, No[666] e Shichigatsu Youka (amo essa música)

Anônimo disse...

Brasil é o mais animado hahaha .
No show o som estava péssimo no inicio, não dava pra ouvir direito a voz do Ruki, estava realmente um barulho, ai falei com os staffs e eles ajeitaram e ficou bem melhor, o show foi de mais nunca irei esquecer daquele dia
Conheci o Gazette na época que lançaram o MV de Cassis desde então nunca mais parei de ouvir, na época eu era uma criança ainda auhsuahs' Hoje em dia sou um guitarrista e cada vez mais admiro o som deles muito bom. Gazerock is not dead \m/

Anônimo disse...

Fico feliz em saber que ele gostou do Brasil, porque somos mais animados ^^ Ele é mesmo um fofo, não é?
Sabe, senti realmente muita pena deles. Coitados, tiveram que se desdobrar para ficar nos hotéis, depois ensaiar, depois fazer o LIVE, e aí viajar de novo... Eles dormiram as oito horas necessárias? Aposto que não! Hunf, me sinto egoísta até quando digo que quero outra World Tour... Os coitadinhos só faltam morrer de tanto trabalhar...
Nós não fizemos crowd diving nem headbang? Hum, então desculpe~ Brasileiros não são acostumados a fazer isso, nee? Aqui o mais comum é pop, reggae, funk... Esse tipo de música (que eu infelizmente não gosto nem-um-pouco).
Eu conheci the GazettE pela música SHIVER, então eu ficaria emocionada sim se ouvisse-os tocar (eu não pude ir no show... T-T). Depois de SHIVER, Cassis, Filth in the Beauty e não parei mais! Hoje sei quase todas as músicas deles de cor, decoradinhas!
OHO, ELES FORAM ROUBADOS?! Droga, América! Por que o povo daqui é tão mal-educado? ._. Fico decepcionada.
Enfim~ Obrigada Ruby pela tradução!
~Angel

Postar um comentário