11.1.14

[Tradução] REDNIQS - Aoi (04/11/2013)

O tumblr acataleptic-thoughts postou um resumo do que foi falado na entrevista com o Aoi para o REDNIQS, do dia 04/11/2013. Veja abaixo a tradução em Português:


REDNIQS - Aoi (04/11/2013)
Entrevistas do REDNIQS/Novembro de 2013: Aoi | Uruha | Reita | Kai | Ruki

Tradução Japonês-Inglês: acataleptic-thoughts
Tradução Inglês-Português: Ruby (Denise)

-----

Sobre o Beautiful Deformity:

• "Que tipo de álbum ele é?" – De acordo com o Aoi, o Beautiful Deformity é – colocando de uma maneira simples – um álbum onde todos fizeram algo, ao invés de trabalharem em cima de um conceito específico, como eles têm feito até agora. Um álbum que serve como um meio de expressar cada membro.
• “A produção do álbum foi diferente do normal?” – Com relação à direção do álbum, é mais a questão de “o que cada membro quer fazer daqui pra frente?”, “que tipo de the GazettE eles gostariam que as pessoas escutassem?”,  em oposição a aplicar o que eles sentem sobre um tema/idéia. Aoi percebeu que ele meio que disse duas coisas parecidas, mas claro que há uma diferença, embora seja pequena.
• “Então é tipo fazer o que você quer fazer?” – Aoi disse que sempre foi assim, mas agora, mesmo que a sensação seja a de que não há um conceito específico para o álbum, eventualmente é o que eles queriam produzir juntos como um todo, ao invés de individualmente.
• O DJ Asai sentiu que no começo, o estilo de música do the GazettE era tipo um “rock simples”, mas eles progrediram e adicionaram aspectos à música (por exemplo, os efeitos eletrônicos, etc). Aoi disse que isso significa “adicionar diferentes cores” ao trabalho deles.
• Depois disso, Asai discutiu as características das faixas de abertura nos álbuns deles (as SEs) e sobre como isso funciona no Beautiful Deformity... A tradutora não entendeu o que o Aoi quis dizer quando disse “あげあげな感じ”(se ela tiver escutado certo).

--

Aoi foi o primeito a ser entrevistado, então ele recebeu a letra “G” da palavra “GAZETTE”:

1. Guitarra (ギター) - “No álbum, que ponto que te preocupou enquanto você tocava guitarra?”
• Aoi disse que estava um pouco preocupado com como ele iria tocar nos lives, e se ele conseguiria produzir a forma/sons das músicas usando os instrumentos e o equipamento que ele tem.
• Ele pensou em outras coisas antes das gravações, mas depois que terminou, ele quis produzir uma consciência parecida com como ele sente que sua guitarra deveria soar durante os lives.
• “A sensação que você tem quando escuta o CD e então, quando você finalmente consegue escutá-lo ao vivo... Você acaba pensando ‘ah, na verdade é desse jeito’. Seria mais ou menos assim?”
• Asai acabou falando sobre os violões da última música (CODA), que possui um “feeling” de flamenco. Durante a fase de composição, esse estilo foi adicionado porque a banda queria fazer algo de diferente com a música.
• Asai falou que achou que seria interessante escutá-la ao vivo, o que surpreendeu o Aoi, que disse “Você acha mesmo?”, porque ele mesmo não tinha certeza disso.
• Quando eles falaram sobre diferentes estilos de tocar, Aoi mencionou que gosta dos solos de guitarra do Uruha, porque ele acha que eles possuem “um som realmente maravilhoso”. Ele disse que sempre fica impressionado com as composições dos solos do Uruha.
• Asai perguntou para o Aoi que música ele recomendaria para aqueles que fazem covers de guitarra. Aoi escolheu a música INSIDE BEAST. Ele justificou dizendo que ela é legal e que, além disso, ela é uma música razoavelmente fácil. A afinação é baixa, então essa é a parte complicada, mas fora isso ele acha fácil de tocar.
• Aoi disse que normalmente, quando eles finalizam uma música, ele acha que ela será difícil de tocar (ou seja, ele precisaria praticar bastante para que ela fique do jeito que ele gostaria), mas quando eles terminaram INSIDE BEAST, ele achou bem simples. E ele achou ainda mais fácil depois de tocá-la e ensaiá-la junto com a banda.

2. Guitarrista (ギターリスト)- “Um guitarrista que você passou a gostar/que te impressionou recentemente.”
• Aoi disse que não tinha ninguém específico em mente. Ele falou que conheceu e fez amizade com vários guitarristas diferentes ultimamente e quando eles se reúnem e conversam (nas reuniões de guitarristas que ele e o Uruha participam), ele tem a oportunidade de falar sobre vários tipos de coisas com eles.
• Ele escutou o que eles tinham a dizer sobre suas respectivas bandas, sobre tocar guitarra e outras coisas sobre os lives deles, e achou cada um dos guitarristas muito legais em suas próprias maneiras.
• Asai perguntou se eles só conversaram sobre guitarra e assuntos de bandas nessas reuniões, mas Aoi disse que as conversas só são assim no começo. Depois de um tempo o grupo todo fala sobre seus futuros e seus planos, coisas que eles gostariam de experimentar e assim por diante.
• Aoi disse que após conversarem sobre assuntos sérios e profundos, eles acabam conversando sobre assuntos despreocupados e bestas.

3. Global, globalização (グローバル, 世界的) – Aqui eles discutiram sobre o lançamento do Beautiful Deformity pelo mundo e um pouquinho sobre a World Tour.
• A banda esteve pensando nisso antes, mas Aoi se sente grato pelo fato de que, lançando o álbum em vários países diferentes, eles fizeram com que o Beautiful Deformity ficasse mais fácil de ser adquirido por mais pessoas ao redor do mundo.
• Conseguir lançá-lo no exterior e ter a chance de compartilhar o trabalho do the GazettE mundialmente é algo que o deixou muito feliz na época. Ele está absolutamente grato por isso.
• Asai perguntou se eles visitaram alguma loja de CDs quando eles estavam na world tour, ou se eles viram algum lançamento da banda sendo vendido em algum lugar, mas Aoi respondeu “não” para ambas as perguntas. Tipo, há pessoas que compram e têm os lançamentos deles, mas eles não são comercialmente vendidos em outros países. Claro que a maioria dos fãs têm que comprar online.
• Dito isso, mesmo que a música deles não seja popularmente conhecida nos locais onde eles visitaram, eles ainda acumularam bastante atenção durante a world tour.  Asai disse que a sensação foi tipo “o the GazettE do Japão está na cidade!!”.
• Como as bandas Japonesas (em particular as bandas de visual kei, com seus visuais impactantes e até estranhos) normalmente não se apresentam no exterior, quando o the GazettE foi para lá, as pessoas ficaram muito surpresas. Aoi ficou muito feliz com a atenção que eles receberam no exterior.

--

Por último, eles introduziram a música que seria tocada na rádio, que foi INSIDE BEAST.
• Aparentemente INSIDE BEAST foi uma das músicas que pegaram o DJ Asai de surpresa, porque ele achou que era diferente do que o the GazettE costuma fazer.

compartilhe nas redes sociais

Comente com o Facebook:

3 comentários:

Mymy :3 disse...

Hahaha!! Adorei! Que entrevista,legal!
O Aoi é tão simples e rapido! Responde tudo de um jeito, simples! Que "fofo"
(=

Gostei da parte que o Aoi,falou sobre os fãns,que a maioria compra tudo online. Haha!

Obrigada pelo post! Ruby

Mymy :3

Anônimo disse...

adoro a maneira leve como o Aoi conversa ^^

INSIDE BEAST é supreendentemente incrível mesmo. Elementos eletronicos fortes, pegada comercial... mas guitarra, baixo e bateria deram uma personalidade incrivel à musica. Amo muito!

Obrigada por post e tradução, Ruby!

Pe

Mira disse...

Eles conhecem bem os seus fãs, mesmo os internacionais.
E é bom ver como eles também se preocupam connosco! ^^

Obrigado Ruby! :)

Postar um comentário